Preencha os campos abaixo para submeter seu pedido de música:

Tocando agora: Carregando...

No comando: FLASH BACK TOTAL

Das 12:00 as 12:59

No comando: AMADO BATISTA

Das 6:00 as 7:00

No comando: GOSPEL HITS

Das 7:00 as 7:59

No comando: MUNDO SERTANEJO

Das 7:00 as 7:59

No comando: SÁBADO ALEGRE

Das 8:00 as 10:59

Val
No comando: Show 104

Das 08:00 as 11:00

No comando: Cristo é a Solução

Das 11:00 as 12:00

No comando: 104 MPB

Das 12:00 as 12:59

No comando: VOZ EVANGÉLICA – IGREJA DE CRISTO

Das 13:00 as 13:59

No comando: A VOZ DA PROFECIA

Das 13:00 as 13:59

No comando: CRISTO É A SOLUÇÃO – ASSEMBLÉIA DE DEUS

Das 13:00 as 13:59

No comando: BREGA: FUSCÃO PRETO

Das 13:00 as 14:30

1238235_336843019784982_2097465645_n
No comando: Tarde Popular

Das 14:00 as 16:00

No comando: MUSICAL VARIADO

Das 14:30 as 15:59

No comando: ESPECIAL 104,9

Das 16:00 as 16:59

No comando: PRESSÃO FORROZEIRA

Das 16:00 as 17:59

No comando: AS 30 MAIS DA PROGRAMAÇÃO

Das 18:00 as 19:00

No comando: A VOZ DO BRASIL

Das 19:00 as 20:00

Sertanejo Victor vira réu por agressão à sua mulher

Compartilhe:
victorsertanejo_isabellaPinheiro_globo

Victor Chaves, da dupla Victor e Léo, é acusado pelo Ministério Público de Minas Gerais por agredir a mulher Poliana Bragatini

O cantor sertanejo Victor Chaves agora é réu na Justiça de Minas Gerais por suposta agressão à sua mulher Poliana Bragatini. Na última sexta-feira, 7, uma das varas especializadas em violência doméstica – são 4 em Belo Horizonte – recebeu a denúncia do Ministério Público do Estado contra Victor, que nega a agressão. O caso corre em segredo de Justiça.

Victor Chaves havia sido indiciado por agressão pela Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG) após conclusão do inquérito. No dia 24 de fevereiro, Poliana Bragatini, sua mulher, fez um boletim de ocorrência alegando ter sido agredida pelo marido e impedida de deixar o prédio onde mora.

“A PCMG concluiu pelo indiciamento de Victor Chaves pela contravenção penal prevista no artigo 21, do Decreto Lei 3.688/41, vias de fato, conforme demonstrado no laudo pericial das imagens das câmeras de segurança do prédio e pelo depoimento da vítima”, diz o comunicado oficial da Polícia. A pena prevista para esse tipo de contravenção é prisão simples, de quinze dias a três meses, ou pagamento de multa.
No dia 13 de março, e Divisão Especializada no Atendimento à Mulher, ao Idoso e à Pessoa com Deficiência (Demid) de Belo Horizonte (MG) anunciou que o laudo do Instituto Médico Legal sobre lesão corporal contra Poliana deu negativo. Na época, entretanto, o Demid deixou claro que ainda aguardava o resultado da perícia realizada nas câmeras de segurança do prédio para concluir a investigação.

Após ter registrado um boletim de ocorrência alegando ter sido empurrada e chutada diversas vezes pelo marido, Poliana foi até o IML de Belo Horizonte para realizar o exame de corpo de delito. Dois dias depois, uma suposta carta em que Poliana negava a agressão foi publicada num perfil no Instagram. O perfil, porém, foi deletado algum tempo depois.

Deixe seu comentário: